sexta-feira, 15 de abril de 2011

"... a gente de girau"

Acabo de chegar de um velório.
A falecida, uma senhora de 99 anos de idade, morreu de velhice, disseram.
Morreu de tanta vida, eu sabia.
A senhora do caixão, que trabalhara a vida inteira de sol à sol; lata na cabeça; roupa para lavar no rio; cuidado com os filhos, os delas e alguns outros, pudera ser 'a madrinha', uma entre tantas outras Marias, que naquela tarde de ambiguidades jazia.

Na lembrança, rasa e dispersa, eu recordava o pretenso e marcante diálogo de quase todos os encontros:

- Minha filha já casou?
- Não tia, casei não...
- Pois num case não, minha filha, esses homens só querem é fazer a gente de girau!

Sábia Maria Paula! Sábia mulher... sabia do mundo e do cosmo o terço que lhe cabia.

(O girau)

Um comentário:

Denise Oliveira disse...

oiie,
que blog mais lindo *-*
to seguindo!!
te espero no meu cantinho hein,
=)
http://deniseoliveiras.blogspot.com/
bjo