domingo, 19 de agosto de 2007

Figurino

- Pensa num figurino...
Eu tento.
Lamento...
Mas agora só me alegra a elegia.
E o sentimento de “contramão”...
Tudo que penso contradiz a veste.
Tudo que penso desnuda.
Tudo que penso transverte-se em abismo.
Abismo imaginário de quem nada pode saber.
Angústia e alegria convertendo-se uma na outra.
Amálgama de erupções de idéias... Que nada pode crer.
- Figura um pensamento!
Então eu me acabo
E figuro...
E costuro
E postulo.
- Nua...
Sem figurino...
- Tua...
Sem pensamento.

Ediane Soares.

Um comentário:

Wesley Alves disse...

Quanta tensão... quanta indecisão... quanta luta interior... E as armas brancas que você usa... quanta ingenuidade... se desnudar em versos, preservar teu corpo de outras fugas menos elementares... isso sim... QUANTA CORAGEM...