quarta-feira, 30 de maio de 2007

Filosofia do beijo

Eu me danei a pensar...
E me danei a gostar...
Filosofia do beijo; máximo do utópico imaginar...
Abismo entre o desejo de ficar, e ficar... e ficar...
Um breu contornado pela inquietude das mãos.
Ah! A necessidade de partir;
A claridade nos olhos do porvir.
Acreditemos que amanhã tem sol!
Olhar à lua cheia já é tentar o instinto!
E começando no que acaba,
revigoro-me em instantes:
- Eu, a criança que enxerga com os olhos limpos da novidade!
O doce dos lábios doces!
O frio do abraço latente, discente... distante...
A noite transmutando a vida simples
Numa aventura onde o maior segredo é arriscar
E o maior de muitos erros é ter certeza...
Doce beijo na noite; cheia lua dos lábios.

Ediane Soares

Um comentário:

Daniely disse...

Muito bom minha querida Poetisa. Estarei divulgando suas poesias.