quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Boa companhia

Esqueci até de que não poderia beber hoje.
Hoje (ontem?) foi daqueles dias em que a minha memória insiste na mesma imagem
E a inspiração conspira por um mesmo verso
E a ausência grita
E a vontade salta
E a verdade dói...
Pois foi.
Daí, encontrei a Inaê no meio do caminho
Conversinha boa
A melhor companhia de sempre
Cervejinha gelada
Papo furado
Companhias transeuntes passageiras, transversais
(a do Bruno Victor foi a mais gostosa, e a da Gra também)
E por fim: Caetano!
No caminho de volta pra casa
Vento no cabelo
50km/h, sem pressa...
Ela fica em casa
Sigo para a minha, junto aos meus
E a música do caminho só ecoa a equação
Obrigada monstrenguinha...
Madrugada, Inaê e as minhas confusões...
"Nosso estranho amor - Caetano".


- - -

Nosso estranho amor
(Caetano Veloso)


Não quero sugar todo seu leite
Nem quero você enfeite do meu ser
Apenas te peço que respeite
O meu louco querer
Não importa com quem você se deite
Que você se deleite seja com quem for
Apenas te peço que aceite
O meu estranho amor
Ah! Mainha deixa o ciúme chegar
Deixa o ciúme passar e sigamos juntos
Ah! Neguinha deixa eu gostar de você
Prá lá do meu coração não me diga
Nunca não
Teu corpo combina com meu jeito
Nós dois fomos feitos muito pra nós dois
Não valem dramáticos efeitos
Mas o que está depois
Não vamos fuçar nossos defeitos
Cravar sobre o peito as unhas do rancor
Lutemos mas só pelo direito
Ao nosso estranho amor...


3 comentários:

s. disse...

água de côco também pode trazer boas sensações. :)

Inaê disse...

Que dia gostoso de se ler!!!
Água de coco sempre, né dididididica!

Mariana disse...

O teu blog é lindo! Adorei as suas poesias! Vá ao meu blog:
mariana-noproblemo.blogspot.com