quarta-feira, 2 de abril de 2008

Subversivo silêncio

.
Gosto tanto de você
Que chega a doer de tanto gosto que faz
O abraço mais sentido
O beijo mais preciso
E o jeito mais 'déjà vu' de voar...
Gosto de poesia
Da noite, da madrugada
Gosto do dia
Com chuva
E ao sol de meio dia...
Gosto da idéia
E quem diria,
Da onomatopéia e da gíria...
Gosto do apetite
E mostro o meu tapete
Colorido e sutil
Tecido de palavras
Para você passar
E seja o que for, que ficar
Que seja por lembrar:
Que eu gosto tanto de você
Que chega até a doer de tanto gosto que faz...

Ediane Soares

2 comentários:

Samara disse...

Lindo esse poema... gostei muito do Blog. E do nome também!

Um abraço!

Luccio disse...

"Essa moça tá diferente
Já não me conhece mais
Está pra lá de pra frente
Está me passando pra trás
Essa moça tá decidida
A se supermodernizar
Ela só samba escondida
Que é pra ninguém reparar
Eu cultivo rosas e rimas
Achando que é muito bom
Ela me olha de cima
E vai desinventar o som
(...)

Tinha que ser Chico né?!
E vc D. moça... sempre tão linda e poeticamente "abusada"!
Amo-te... porque "eu também sei que o amor é uma coisa boa".