terça-feira, 22 de novembro de 2011

Impressão


- Tenho a impressão de que já te conhecia... de outras alegrias, de outros temporais.

Parece que o tempo da casa era outro
Paredes observavam cada passo, cada caso, e o que passara devagar...
Parece que os olhos da casa eram feitos de memória.

Mas quando estando ali, presente
E a boca me sorrindo faz sentir-me há tempos
Não existem olhos
Nem memória
Nem história
Nem lamento
Nem momento
Confusão
Não existe nada além
Apenas o corpo, a mente e a vontade de ficar
De dois em um
De um na totalidade das impressões
Canções, poemas e rabiscos no papel...

Um comentário:

Denise Oliveira disse...

quantas sensações em um único registro que só o coração é capaz de captar dentro de um momento...
texto suave,mas que entra na veia e conduz emoções a cada parte do ser...
belíssimo poema.

beijo.
deniseoliveiras.blogspot.com