domingo, 12 de outubro de 2008

De fato

.
Bem, não adianta procurar entre tantos livres e loucos
Um apenas que nos encante e faça encantar.
É pouco diante da imensidão do Céu e da vontade de voar.
Me recuso então a procurar.
É na recusa dessa procura que alguns fatos são consumados.


.
Como já disse o poeta-passarinho, Mário Quintana:

"A poesia é um fato consumado, não se discute"


Ediane Soares

4 comentários:

Amanda disse...

as raridade acontecem tb!
otima semana,flor!

Juba! disse...

tu também é uma poeta-passarinho...
e é linda
e colorida
e me mata de saudades nessa garoa.

:(

bjo grande, enorme, imenso, como a tua inspiração e a nossa vontade de voar para além do mundo.

Minha nerudiana quintaneada!

Ju.

Inaê disse...

Verdade...
Mas de que poesia está falando, minha flor, minha cor, minha cara?

Fernanda Rodrigues disse...

Tá consumado, Tá consumido...
é fato. E nesse ato encontro relatos.
Minha poetisa mais linda!
:)
Xêrinhos...